Expressões Idiomáticas

Língua portuguesa

  • Armar-se até aos dentes – Estar bem preparado para qualquer coisa
  • Comprar gato por lebre – Ser enganado
  • Ir desta para melhor – Falecer
  • Pendurar chuteiras – desistir
  • Abanar o capacete – dançar
  • Abandonar o barco – desistir
  • Acordar com os pés de fora – acordar mal disposto
  • Agarrar o touro pelos cornos – enfrentar os problemas
  • Andar à deriva – não ter nenhum rumo
  • Arrumar as botas – deixar de exercer uma função
  • Bater as botas – Falecer
  • Armar-se aos cucos – armar-se em esperto
  • Abrir mão de… – ceder ou desistir de algo
  • Deus dá nozes a quem não tem dentes – dar oportunidades a pessoas e essas não as aproveitarem
  • Abrir caminho – ser o primeiro
  • Acertar contas – saldar dívidas
  • Dar um passo de gigante – dar um grande avanço
  • Dar o dito por não dito – Negar  ter dito alguma coisa
  • Dar o corpo ao manifesto – sacrificar-se por alguma coisa
  • Enganar a morte – Escapar por um triz a uma situação provavelmente fatal
  • Estar de olhos vendados – ser impossibilitado de saber ou compreender um assunto
  • Rés Ves Campo de Ourique – À tangente de algo
  • Já estou contigo pelos cabelos – Farto
  • Já me está a cheirar mal – não está a gostar de uma situação
  • Arranjar lenha para se queimar – arranjar problemas
  • Chegar a roupa ao pelo – Bater
  • Confundir alhos com bugalhos – Misturar assuntos
  • Chorar a rir – Rir Muito
  • Agitar as águas – causar instabilidade
  • Afogar-se numa poça de água – exagerar num problema
  • Chover a cântaros – chover muito
  • Crescer água na boca – ter vontade de comer algo
  • Estar com a pulga atrás da orelha – Estar desconfiado
  • Bater na mesma tecla – insistir
  • Dar o braço a torcer – voltar a trás numa decisão
  • Engolir sapos – fazer algo contrariado
  • Somos unha com carne – ser inseparável
  • Tráz água no bico – ter algo a esconder
  • Descalçar as botas – resolver um problema
  • Fazer em cima do joelho – Fazer as coisas à pressa
  • Estar com a corda ao pescoço – estar condenado
  • Não me chegas ao calcanhar – ser inferior
  • Apertar o cinto – fazer sacrifícios
  • Bater com o nariz na porta – chegar a um sítio e descobrir que este estava fechado
  • Andar de boca em boca – passar a palavra
  • Ficar de boca aberta – ficar espantado
  • Dar com a língua nos dentes – ser indiscreto

                                        8º 8ª, EB 2,3 Padre Alberto Neto

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s