Café com Prosa

Autor não identificado

Autor desconhecido

Nesta página, vamos publicar a prosa que fazemos: histórias, contos, desabafos, cartas dos alunos, dos professores ou dos funcionários.

Começamos com uma história e com duas cartas imaginárias que escreveram as alunas do 6º 5ª. É preciso sonhar e voltar. Foi o que elas fizeram!

O Grande Tesouro

 No verão passado o meu pai comprou um detetor de metais. Eu e os meus pais fomos a uma mata, onde havia ruínas de uma casa, para ver se descobríamos algum tesouro. Pelo menos, era o que o meu pai dizia. Ele esperava encontrar moedas, ouro ou joias, pois o detetor tem essas aplicações todas.

O meu pai ligou o detetor, aproximou-o do chão e este começou logo a apitar. Começámos a cavar com uma pá e o detetor apitava mais alto. Tínhamos descoberto um tesouro! Mas, afinal, era uma carica.

Não desistimos e continuámos à procura…

Quando começou a escurecer, abandonámos a mata. Levámos para casa um saco cheio de lixo: caricas, latas, cartuchos…

O meu pai ficou muito desiludido. Mas, no dia seguinte, mostrou-se disposto a ir, outra vez, à procura de um tesouro!

Marta 6º5ª nº16

< >«. – .»< >

20 de agosto de 2011

 Olá, querida família!

Eu estou em Nova Iorque e é tudo muito movimentado. Esta cidade nunca dorme,como diz o cantor Frank Sinatra. Durante toda a noite há luzes de anúncios acesas e sempre pessoas nas ruas.

Eu estou num hotel de cinco estrelas, com vista para a Estátua da Liberdade. Aproveitei e fiz muitos desenhos. As comidas são ótimas e deliciosas, mas as refeições são caras. Comprei um livro sobre esta cidade.

E, adivinhem…Eu estava a passar pelo restaurante mais popular da zona, quando um jornalista português se aproximou de mim e me perguntou:

-Desculpe, você não é a Beatriz Faria?

-Sou.- respondi.

E o jornalista ficou a elogiar-me e a fazer-me perguntas, que publicou no jornal de Nova Iorque. Estou a adorar esta cidade!

Adeus e beijinhos para todos.

Beatriz

< >«. – .»< >

Sevilha, 25 de abril de 2012

Queridos pais:

Espero que estejam bem de saúde.

 Eu continuo na minha viagem. Envio-vos o caderno de desenhos que fiz quando estive em Gibraltar. O primeiro desenho que foi feito quando estava a chegar a Gibraltar e vi o rochedo “The Rock”, como os Ingleses lhe chamam. Subi ao rochedo e havia lá macacos. Pus-me logo a desenhá-los. Os macacos andavam em cima dos carros e ao pé das pessoas. Depois, fui visitar uns túneis feitos pelos soldados ingleses. Desenhei a estrutura do túnel e as pedras com água, a escorrer. Até uma caveira lá havia. Foi o mais difícil de desenhar!

Por agora é tudo. Já estou em Sevilha. Depois conto-vos tudo, com mais desenhos desta cidade.

 Beijinhos da vossa filha, que vos adora,

Marta

< >«. – .»< >

LAMEGO

Vou falar-vos da terra onde os meus avós maternos nasceram.

A cidade de que vos vou falar é Lamego. Situa-se no distrito de Viseu, na região Norte e sub-região do Douro. O concelho abrange uma vasta população de 26 697 habitantes

Em Lamego predominam as macieiras, cerejeiras e grandes propriedades de vinha. Acerca de animais, podem-se observar desde raposas, veados, burros, cavalos, javalis, patos, faisões, gansos e uma grande quantidade de répteis. O clima é Temperado interior.

Foi reconquistada definitivamente em 1057. Foi em Lamego que teriam decorrido as primeiras cortes- As Cortes de Lamego, onde se reuniu o clero e a Nobreza. D. Afonso Henriques foi aclamado Rei de Portugal na Igreja de Santa Maria de Almacave.

Agora passo a contar-vos alguns hábitos culturais. No dia 8 de Setembro celebra-se o Dia de Nossa Senhora dos Remédios, uma celebração que chama muitos turistas ao concelho. Existe a Marcha Luminosa, com carros alegóricos e muitos figurantes e as ruas estão sempre iluminadas durante a noite. No dia seguinte há a Batalha das Flores igual à de dia anterior mas à tarde onde são atirados muitos papelinhos e fitas. No feriado, dia 8, há a procissão, onde os andores são puxados por bois muito grandes e a Nossa Senhora dos Remédios vai até à base militar onde é tirada do andor e é levada pelos tropas até ao santuário. Encerram-se as festas no dia 9 de Setembro após os espectáculos de fogo-de artifício e de fogo-preso.

Lamego possui uma gastronomia muito diversificada, desde os pratos à doçaria tradicional. O principal petisco de Lamego são as bolas de carne em vinha d’alhos, presunto, fiambre… O cabrito assado no forno de lenha com batatas e arroz é um dos pratos principais, assim como os enchidos – salpicão, moira, etc.

O que eu gosto mais de Lamego é a gastronomia, as festas…

6º 7 Hugo Carvalho

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s