ENCONTRO COM MIGUEL HORTA NA BE/CRE

Os alunos do 2º ciclo prepararam-se ao longo dos meses de outubro e novembro para receberem o escritor Miguel Horta na BE/CRE da EBPN. Tiveram ocasião de ler e discutir nas aulas de Português um dos seus livros, Pinok e Baleote, que narra as aventuras de um jovem habitante das ilhas de Cabo Verde com uma certa tendência para inventar histórias…

Os alunos desta escola multicultural puderam comparar experiências, conhecer outras paisagens e vivências, conhecer expressões em crioulo e,  para muitos,  esta foi uma oportunidade de recordar a sua terra, ou a terra dos seus pais.

Ficam aqui algumas imagens de desenhos, biografias, histórias e outros trabalhos que os alunos realizaram em homenagem ao autor. Ficam também algumas fotos da sessão do dia 20 de novembro, uma organização conjunta da Biblioteca e do grupo de Português.

 

Anúncios

“Nutrir para Aprender”

No passado dia 14 de Outubro de 2010, pelas 18:45h, realizou-se um Encontro no refeitório da EB1/JI Rio de Mouro n.º 2, com o objectivo de debater questões associadas ao Dia Mundial da Alimentação e apresentar os resultados do trabalho de investigação realizado no âmbito do projecto “Nutrir para Aprender”. Estiveram presentes a Nutricionista da Educa, Dra. Raquel Ferreira, a Educadora Social do nosso Agrupamento, a Coordenadora do Projecto TEIP, assim como outros convidados e Encarregados de Educação que contribuíram para um debate mais aprofundado e esclarecedor.

Os Caças regressaram à nossa escola

         No dia 3 de Maio, voltámos a ter a visita dos monitores do Projecto “Educação Aeroespacial ”. Nesta segunda sessão houve uma parte teórica e uma parte prática, tal como aconteceu na primeira sessão. Relativamente à parte teórica, vimos um filme sobre a vida dos astronautas dentro de uma estação espacial, e a descolagem de um Vaivém. Ao mesmo tempo que o filme foi decorrendo, o monitor Tiago foi explicando as diversas situações. No que diz respeito à parte prática, começámos por construir foguetões e planadores, os primeiros feitos em papel cavalinho e os segundos em madeira fina e leve. Depois, pintámos as construções, anteriormente referidas, utilizando tintas, lápis de cor, e/ou canetas de feltro. A actividade terminou com o lançamento de dois planadores de diferentes tamanhos, no pátio da escola. Durante toda a parte prática, os monitores Isabel e Tiago foram muito prestáveis e atenciosos, ajudando-nos e orientando-nos na nossa tarefa.

                                                            Turma do 4.º A da Escola EB1/JI Rio de Mouro n.º 2

Os Nossos Terrários

Construímos um Terrário, para estudar a flora e a fauna seleccionadas.

O nosso objectivo era:

Construir um micro ecossistema Terrário com material caseiro que demonstre a capacidade evolutiva do ser vivo e a sua importância ecológica;

Discutir sobre as condições ambientais do micro ecossistema Terrário comparando-o com o sistema ecológico actual, para melhor compreensão dos diferentes processos naturais que actuam no meio ambiente;

Observar, registar, analisar, debater e relatar as acções ocorridas dentro de um micro ecossistema Terrário, para reorganizar conceitos sobre o mundo em que se vive.

Precisámos de muitos materiais:

  • Pote de plástico transparente e grande (25 – 30cm) de boca larga com tampa (apropriada para Terrário fechado);
  • Carvão vegetal;
  • Cascalho natural;
  • Pedras;
  • Areia fina;
  • Terra adubada;
  • Borrifador de água;
  • 1 Recipiente de plástico pequeno;
  • Troncos;
  • 1 Recipiente de medida;
  • Plantas e musgos;
  • Minhocas, bichos-de-conta e formigas;
  • Película aderente;
  • Papel, lápis, fita-cola.

Preparação do material

      

Começámos por lavar um pote de plástico transparente e grande. Lavámos cascalho com água corrente e misturámo-lo com duas medidas de terra vegetal (sustentação e fornecimento de nutrientes).

     

Numa bacia de plástico separámos porções pequenas de vegetais húmidos adequados para Terrários fechados.

Preparação do Terrário

     

  1. Colocámos no pote algumas pedras e areia fina;

      

      2. Acrescentámos uma camada de terra adubada, areia fina e carvão vegetal;

    

      3. Numa terceira camada, colocámos terra adubada;

      4. Para uma quarta etapa, acrescentámos um pequeno recipiente com água (um lago) e troncos e plantámos pequenas porções dos vegetais no pote;

                                              

      5. Acrescentámos as minhocas, os bichos-de-conta e as formigas;

      6. Borrifámos o nosso Terrário para que tivéssemos a chuva;

                                            

      7. Finalmente vedámos o pote com película aderente e colocámo-lo em local iluminado.

E pronto! Temos o nosso Terrário montado.

Ao fim se uma semana já conseguimos observar algumas coisas muito interessantes:

  • Ainda há água na caixa/”lago”;
  • O plástico que cobre o Terrário continua com gotinhas de água;
  • As minhocas têm andado debaixo da terra e formam caminhos;
  • As plantas estão verdinhas;
  • Há caracóis espalhados pelos Terrários todos.

As nossas observações e conclusões ainda irão continuar mas, estamos já muito contentes com o estudo que estamos a fazer.

                                                  EB1/JI Rio de Mouro nº1

                                                 Professora Vera Bobone

                                                 Turma B do 2º ano de escolaridade

Provérbios – Dia dos Namorados

Amor com amor se paga.

Amor querido, amor batido.

Amores arrufados, amores dobrados.

As sopas e os amores, os primeiros são os melhores.

Mais se tira com amor do que com dor.

Mãos frias amores todos os dias.

Mãos frias, coração quente, amor para sempre.

Mãos quentes amores ausentes.

Não há amor como o primeiro.

Não há luar como o de Janeiro nem amor como o primeiro.

No amor, quem foge é o vencedor.

Quem namora pelo fato, leva o Diabo ao contrato.

Quem tem amores, tem dores.

Quem tem sorte ao jogo não tem sorte aos amores.

O amor por uma pessoa deve incluir os corvos do seu telhado. (Provérbio chinês)

O amor é cego e pensa que ninguém o vê. ( Provérbio dinamarquês)

Mensagem Secreta

Mensagem Secreta

 

É preciso:

  • 1 limão
  • 1 espremedor
  • 1 folha de papel branca
  • 1 palito ou 1 pincel fininho
   
limões espremedor
   
folhas palito ou pincel
   

 

   

 

Como fazer:

 

1 – Corta o limão ao meio e espreme-o para obteres sumo. 2 – Usa o pincel para escreveres a tua mensagem secreta no papel.  
3 – Espera que seque.4 – Entrega a folha a quem quiseres, para ver se percebem. 5 – Se quiseres, nas entrelinhas podes escrever outra mensagem a esferográfica, assim confundes a outra pessoa.

 

Como ler:  
1 – Para se ler o que escreveste é preciso passar a folha de papel com o ferro de engomar.  
2 – Conforme o calor passa pela a mensagem escrita com o sumo de limão, as letras vão aparecendo mais escuras!
Não é espectacular? Assim podes passar mensagens secretas a quem quiseres. Mas atenção ao que escreves: há muita gente que conhece este truque!