Hoje eu sou uma música…

Hoje sou uma música antiquíssima, daquelas que recordam os anos setenta e que quando se ouve surge, logo, uma vontade imparável de dançar. Até os animais ficam activos e com uma grande alegria. Tenho uma letra encantadora, um ritmo incomparável a qualquer outro, que alguém jamais conseguirá compor.

Em tempos fui rejeitada pelo público. Ninguém me conseguia ouvir! Querem saber porquê?

Na verdade, fui feita por um compositor muito desastrado que produzia músicas sem sentido. Assim sendo, depois de me compor apercebeu-se que a música estava horrenda e bastante desafinada, pois esquecera-se das claves de sol e do refrão. Imaginem só a desilusão dos meus fãs.

Um dia, abandonada e esquecida num velho estúdio, um rapazinho de nome “Tom” compôs-me novamente. Acrescentou-me um refrão, as claves de sol, notas musicais com mais ritmo, afinou-me a parte instrumental e a partir daí, passei a ser um música muito famosa e importante. Não é para me gabar, mas até eu dançava ao sabor da minha melodia, encantava corações, alegrava as mentes e iluminava a vida a todos os que me ouviam.

Agora, aqui estou eu junto dos amiguinhos da turma 9ª do quinto ano que, comigo, cantam este refrão:

                  Estudar é aprender,

                  Aprender é escrever,

                  Na Escola Padre Alberto Neto

                  Como podem ver!

                                           Texto Colectivo da Turma 9ª, 5º Ano

Anúncios